terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Reengenharia linguística

Eles foram rápidos!

Do Dicionário "online" da Porto Editora:

casamento
nome masculino
1. acto ou efeito de casar
2. contrato celebrado entre duas pessoas que pretendem constituir família em conjunto; matrimónio
3. cerimónia que celebra o estabelecimento desse contrato; núpcias
4. situação que resulta do acto de casar
5. estado de casado
6. figurado enlace, união
7. figurado combinação
(De casar+-mento)


Do Dicionário "online" da Priberam:

casamento
(casar + -mento)
s. m.
1. Acto! ou efeito de casar.
2. Contrato de união ou vínculo entre duas pessoas que institui deveres conjugais. = matrimónio
3. Cerimónia ou ritual que efectiva! esse contrato ou união. = boda
4. Fig. União, associação, vínculo.
5. Reg. Passa de figo recheada com pedaços de noz ou de outros frutos secos.
casamento de mão esquerda: mancebia.

casar - Conjugar
(casa + -ar)
v. tr.
1. Unir por casamento.
v. intr. e pron.
2. Unir-se por casamento.
3. Fig. Condizer.


Já no termo "matrimónio", o da Porto Editora ainda continua homófobo: é inadmissível!

matrimónio
nome masculino
1. DIREITO contrato perante a lei para um homem e uma mulher viverem em comum e beneficiarem de certos privilégios legais
2. união legítima, de carácter civil ou religioso, entre duas pessoas; casamento; união conjugal
3. bodas; núpcias
4. consórcio
(Do lat. matrimonìu-, «id.»)


O da Priberam já fez a sua reengenharia linguística, pois da sua definição de matrimónio já não resta nada que aluda à raiz etimológica, que vem de "protecção da maternidade" (algo que, evidentemente, também se pode aplicar a um "casal" homossexual, desde que lésbico e que possa adoptar):

matrimónio
(latim matrimonium, -ii )
s. m.
União legítima entre duas pessoas, legalizada com as cerimónias e formalidades religiosas ou civis para constituir uma família. = casamento


Decididamente, já não é só por causa do novo e pateta acordo ortográfico: desta é que vou mesmo guardar lá em casa umas cópias, para memória arqueológica, dos bons dicionários que ainda consegui comprar a tempo...

3 comentários:

Anónimo disse...

Com esta história do casamento homosexual até as anedotas vão mudar sabem aquela dos heterosexuais, nos homos vai ser assim,
O filho que vê o pai a sair do banho e diz, papá tens um pilihinha tão grande… e comenta o papá: isto não é nada… quando vires a da tua “mae”…

Espectadores disse...

Esta questão das anedotas é pertinente: o absurdo lógico do "casamento homossexual", e o facto evidente de que a larga maioria da população portuguesa não está ainda embebida da ideologia LGBT, vai provocar a proliferação deste tipo de anedotas.

E isso só pode piorar a são afectadas pela homossexualidade.

Jairo Entrecosto disse...

Bernardo, esta malta que nos governa realmente não perdeu tempo:

http://paiocomervilhas.blogspot.com/2010/01/mais-um-chique-valer.html


Cumprimentos